Não é por uma simples questão de eficiência administrativa que defendo a redução drástica do Estado brasileiro. Aliás, toda essa temática sobre gestão eficiente e lucrativa e sobre como as estatais poderiam ser melhores está longe de ser uma prioridade para a maioria dos brasileiros.

big govermentA questão é mais profunda: quanto maior o Estado, maiores são as chances de que haja corrupção. Um Estado gigante como o que temos no Brasil – nem os especialistas sabem precisar quantos órgãos públicos existem – é um ambiente perfeito para a corrupção, com assaltos regulares aos cofres públicos.

Do ponto de vista moral, é absolutamente reprovável a existência de um Estado enorme e sem suficientes mecanismo de controle e fiscalização. Na verdade, só somos informados dos casos de corrupção que são descobertos pela mídia. Talvez nunca saibamos do resto. Os milhões podem ser bilhões. E por aí vai…

A existência do Estado já representa em si uma derrota moral para todos nós. O fato de que indivíduos adultos precisam de contratos, tribunais, polícia e forças armadas é uma realidade trágica e mostra o quão corrompida é a natureza humana.

(Thiago Cortês)

comentários